Livro = Reflexão

Há um tempo ganhei um livro que, a princípio, não dei muita bola: Ensaio sobre a lucidez, de José Saramago. Demorei um pouco para iniciar a leitura e, quando animei, pude perceber que a forma de o autor escrever era bem diferente dos livros que eu estava acostumado. Isso talvez tenha me desencorajado no início, mas logo peguei o jeito e, acredite, o vencedor do Nobel se transformou em um dos meus autores prediletos.

O livro é incrível e me fez pensar muito sobre o Estado e sobre o comportamento da sociedade, em geral. Não pretendo dar spoiler, mas pense um pouco se o governo resolvesse abandonar o seu povo, o que aconteceria?

Recentemente, em alguns estados brasileiros, a polícia resolveu cruzar os braços (não pretendo entrar no mérito se os policiais estavam certos ou errados, isso poderia ser discutido em outro Pitaco, ou melhor, em um artigo científico). O resultado: o caos. Insegurança, vandalismo, criminalidade. Parcela, mesmo que pequena, da população “aproveitou” a ausência de policiais para “tocar o terror”.

No livro a situação foi ainda pior, por ordem do governo a polícia foi embora. Mas, se não estou enganado (li o livro há alguns anos), isso não representou um aumento significativo da criminalidade. Nada de grave aconteceu e quando algum ato criminoso era flagrado, a própria sociedade fazia o possível para inibi-lo.

Não sou contrário à ideia de Estado, não me entendam mal. Tenho certeza de que ele é necessário para a manutenção da sociedade e imprescindível para o seu desenvolvimento. O livro me fez pensar em um outro ponto: no papel de cada indivíduo dentro de nossa sociedade. O Estado, por inúmeros motivos (que não pretendo discutir nesse Pitaco, pois isso daria um livro) não consegue suprir toda a necessidade do seu povo. Um povo que, por outras tantas questões, não possui as mesmas condições sociais, financeiras, etc, etc, etc. Porém, acredito que se nós passássemos a nos ver mais como parte de um todo (sociedade), talvez conseguíssemos, através de pequenas atitudes, mudar um pouquinho o que acontece ao nosso redor. Talvez, assim, de pouquinho em pouquinho, pudéssemos mudar o país.

É sempre bom quando nos deparamos com uma obra que nos faz refletir: o primeiro passo para sairmos de nossa bolha.

Obrigado, Saramago!

Thiago Henrique de Oliveira

Obs.: Se você tem um livro para indicar, um livro que não pode faltar em uma biblioteca, conte aí!