Categoria: Pitacos

Breve pensamento sobre a Saúde e o SUS

A saúde é direito de todos e um dever sacrossanto do Estado, sendo plenamente garantido pela Constituição da República de 1988. Afinal, é consagrado que “São direitos sociais a educação, a saúde, a alimentação, o […]

Livro = Reflexão

Há um tempo ganhei um livro que, a princípio, não dei muita bola: Ensaio sobre a lucidez, de José Saramago. Demorei um pouco para iniciar a leitura e, quando animei, pude perceber que a forma […]

Read More

Estado de Calamidade e o FGTS

Muitos trabalhadores estão animados com a aprovação do Estado de Calamidade Pública decretado pelo nosso Presidente e aprovado pelo Senado. Porém, tal animação não se vincula ao que gerou essa situação, mas sim a possibilidade […]

Read More

Trânsito x Escolas

O “Pitaco” de hoje tem a ver com uma situação que, acredito, se repete em inúmeras escolas espalhadas pelo nosso país. Antes de adentrar no fato específico, porém, uma pergunta: Por que colocar os filhos […]

As curvas da estrada…

“Se você pretende saber de qual estrada, eu posso lhe dizer”… Está bem, fiquem tranquilos que não haverá “musiquinha” no Pitaco de hoje. A estrada tema é a BR 381, mas aposto que o fato que será narrado acontece em muitos, muitos lugares neste Brasilzão.

Nestas últimas idas e vindas pela famosíssima BR, pude perceber a ocorrência de alguns acidentes de trânsito, dentre eles de caminhões carregados que por algum motivo tombam na estrada, espalhando sem pudor suas cargas para todos os lados.

Não se tarda muito e a festa começa. Calma, ninguém está comemorando o acidente. Mas alguns aí parecem adorar a ideia da existência de carga na “pista”. (…)

O “Juridicamente Correto”

Todos já devem ter ouvido falar em “politicamente correto”. Mas, há um ser, menos conhecido e que também almeja ser o mais correto na sua área: o “Juridicamente Correto da Silva”, Juju, para os mais íntimos. Juju é um cara que não se preocupa tanto com a neutralidade, não está tão preso aos valores morais, a não ser que eles estejam presentes no mundo jurídico.

“Juju” é um cara que sempre tenta respeitar a ordem jurídica e, nesse seu papel, vive rotineiramente inúmeros dilemas. Porque estar correto juridicamente não é fácil, significa considerar infindáveis possibilidades. Constituição, leis, decretos, jurisprudências, doutrina… entendimentos, lacunas, entendimentos, contradições e entendimentos… são iguais sorvetes, tem gosto pra “tuuudo”.

“Bolsa Cadeia”

Não raramente, mal acabo de entrar nas redes sociais e vejo alguns desenhos, montagens ou mesmo frases como “Brasil, um país em que o marginal tem mais valor do que o trabalhador”, ou “No Brasil é mais lucrativo ser preso do que trabalhar” criticando o auxílio reclusão. Alguns o chamam de até de “Bolsa Marginal ou Bolsa Cadeia”.

Mas, as coisas não são tão simples quanto parecem e nem tão absurdas quanto divulgam. Auxílio reclusão é um benefício previdenciário previsto na Lei 8.213/91 e será devido aos dependentes “do segurado recolhido à prisão, que não receber remuneração da empresa nem estiver em gozo de auxílio-doença, de aposentadoria ou de abono de permanência em serviço”, nos termos do artigo 80.

Algo sobre “Black blocs”

“Os Black blocs apresentam suas armas, ações intransigentes, máscaras, ódio incandescente, e a determinação de não deixar o capitalismo prosperar.”*

Vemos no Brasil, desde as manifestações de 2013, a atuação de uma tática que se denomina “Black blocs”. Não são um grupo, eles não têm uma liderança (ou dizem que não têm). Têm apenas uma ideologia que é totalmente contrária ao capitalismo e, como protesto, costumam chamar a atenção da sociedade destruindo símbolos do capital e provocando a Polícia e a ordem estatal.

Ganharam ainda mais destaque quando um jornalista de uma rede de televisão brasileira foi atingido por um artefato que teria sido deflagrado por um ativista.

2014

O ano de 2013 chega ao seu fim. Já desponta no horizonte o tão esperado 2014, um ano que pode ser marcante para nós, brasileiros, em pelo menos dois aspectos.

Tá bom, um deles é a Copa do Mundo. Não poderia deixar de mencionar um dos maiores eventos do planeta que será realizado aqui, em terras tupiniquins, após 64 anos.

Mas para aqueles que não gostam de futebol ou da ideia de que o Brasil deveria sediar este evento, ainda há outra oportunidade de sucesso. Infelizmente, não é uma coisa para se empolgar demasiadamente, por um simples motivo: esta oportunidade surge para nós a cada dois anos e o retrospecto não aponta muito sucesso.

Copa do Mundo: Volume 3

Há muito tempo o assunto Copa do Mundo não é tratado neste blog. Mas, depois da notícia que li ontem… não deu pra segurar. A matéria, que foi publicada em vários jornais de todo país, informa que Tribunal de Justiça do Estado do Amazonas irá sugerir ao Governo Estadual que utilize a Arena Amazônica (um dos vários estádios de futebol criados para a Copa de 2014) como centro de triagem de presos, uma vez que não há local adequado para isso no Estado (se é que um estádio de futebol pode ser assim considerado).

Acredito que a ideia tenha surgido com a melhor das intenções, afinal, não é porque a pessoa se encontra presa que ela deve ser esquecida, matratada e escurraçada da sociedade. Vivemos num país em que a dignidade da pessoa humana é princípio constitucional e isso vale para todos (embora nem sempre se veja isso).